sábado, 31 de agosto de 2013

TRAVESTI PEDE OPORTUNIDADE E CANTA DURANTE CULTO EM ASSEMBLÉIA DE DEUS


Desviado da igreja, ele pediu oportunidade e se apresentou em culto da Assembleia de Deus.


Marcio Collins foi criado numa família evangélica. Quando decidiu revelar sua homossexualidade ao pais, foi expulso de casa pelo pai e desde então vive nas ruas de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Envolvido com drogas e prostituição, ele é conhecido na Baixada Fluminense.

Em fevereiro deste ano surgiu um vídeo seu no YouTube cantando a música “Ele Não Desiste de Você”, do cantor gospel Marquinhos Gomes.

Segundo os comentários no Youtube, ele é afastado da igreja e costumava cantar no louvor. Esta semana surgiu outra apresentação dele na internet com o título “Travesti entra na igreja pede pra canta e solta a voz”. Em pouco tempo o material gerou reações reprovando e outras apoiando o fato de a igreja ter permitido que ele cantasse.

O vídeo foi gravado em um culto dia 23 de agosto na Assembléia de Deus Nadando Na Bênção, na Pavuna, Rio de Janeiro. O pastor Giovanni Vieira, responsável pela igreja, confirmou em seu perfil do Facebook que permitiu que Marcio cantasse.

Ele não faz nenhum comentário sobre o fato de Marcio estar vestido de mulher, preferiu apenas postar a seguinte mensagem “Gente, o culto hoje da Pavuna explodiu tudo! Divulgue isso, ele pediu nossa ajuda. É muito forte”. Não há indícios que tipo de ajuda foi pedida.

Os comentários no Youtube e no Facebook mostram um debate acalorado entre quem concorda e quem discorda da decisão do pastor.

O tempo dirá que mudança poderá ocorrer na vida de Marcio por conta da divulgação desse vídeo. No início do ano, um mendigo entrou numa igreja em Minas Gerais e entoou um hino gospel.

Depois de mais de um milhão de acessos, Antenorgenes Silva Fernandes, o ex-mendigo e ex-usuário de drogas recebeu ajuda da igreja e se recuperou. Seis meses depois, conseguiu gravar um CD e até mesmo um vídeo clipe com a música “Um Milagre em Jericó”, que o tornou famoso.

(Fonte:Web evangelista)

A intolerância bíblica. Quando?


 Gostaria de enfatizar esta verdade, asseverando que existe, na fé da Palavra do caminho (daqueles que são convertidos a Yahushua e não ao cristianismo criado por Roma), um lado de intolerância. Vou mais além e afirmo que, se não temos visto este lado intolerante da fé, provavelmente nunca vimos verdadeiramente a fé. Existem muitos mandamentos nas Escrituras que substanciam a afirmativa de que colocar mais alguém ao lado de Yahushua, ou falar de salvação a parte dele, ou sem que ele seja o centro dela, é traição e negação da verdade. O apóstolo Pedro, dirigindo-se ao sinédrio em Jerusalém, disse: "... porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos". (Atos 4:12).

Todo falso ensinamento deve ser  combatido. A segunda aliança nos diz que assim fez nosso Mashiach e todos os apóstolos, e que eles se opuseram e advertiram as pessoas contra isso. Mas pergunto novamente: isto é realizado hoje? Qual sua atitude pessoal quanto a isso? Acaso é você uma daquelas pessoas que diz que não há necessidade dessas negativas, e que deveríamos estar contentes com uma apresentação positiva da verdade

Você concorda com aqueles que dizem que um espírito de amor é incompatível com a denúncia crítica e negativa dos erros gritantes, e que temos de ser sempre positivos? A resposta mais simples a tal atitude é que o Mashiach Yahushua denunciou o mal e os falsos mestres. Repito que ele os denunciou como "lobos vorazes" e como "sepulcros caiados" e como "guias cegos". O ministro do evangelho Paulo disse de alguns deles: "... cujo UL é o ventre, e cuja glória é para confusão deles". (Filipenses 3:19). Esta é a linguagem das Escrituras. Pode haver pouca dúvida, mas as congregações estão como o são hoje porque não seguimos o ensinamento da segunda aliança e as suas exortações, e nos restringimos ao positivo e ao assim chamado "Evangelho simples", e fracassamos em acentuar negativas e críticas.

O resultado é que as pessoas não reconhecem o erro, quando se defrontam com ele. Aceitam aquilo que aparenta ser bom, e se impressionam com aqueles que vêm às suas portas falando da Palavra de YHWH e oferecendo literatura de estudos sobre as profecias e coisas deste tipo. E eles, na condição de sua ignorância infantil, frequentemente ajudam a propagar o falso ensinamento, porque não conseguem ver nada de errado nele. Além disso, não compreendem que o erro deve  denunciado e combatido. Eles imaginam-se a si mesmos cheios de um espírito de amor, são iludidos por satanás, a fera destruidora que estava no encalço deles, e que, num bote súbito, os agarrou com sua esperteza e sutileza (2Tessalonicenses 2: 9-12).

Não é agradável ter que denunciar o erro e expor o erro não dá alegria. Mas qualquer servo que sinta, em pequena medida, e com humildade, a responsabilidade que o apóstolo Paulo conhecia num grau infinitamente maior pelas almas e o bem-estar espiritual de seu povo, é forçado a fazer estas advertências. Isto não é desejado nem apreciado por esta moderna geração moralmente fraca. Muito amiúde a bancada tem controlado o púlpito e grande dano tem sobrevindo às congregações. O ministro Paulo adverte a Timóteo que virá um tempo em que as pessoas "não suportarão a sã doutrina". Este é frequentemente o caso no tempo presente, e assim tem sido durante este século e alguns passados. Por isso, é importante que cada membro deva ter uma concepção real da sua congregação e da função do ministro em particular

Hoje há no mundo “igrejas” que na superfície parecem ser “igrejas florescentes”. Multidões se agregam a elas e demonstram demasiado zelo e entusiasmo. Mas num exame mais acurado descobre-se que a maior parte do tempo é tomado por música de vários tipos, e com clubes e sociedades e atividades sociais. Há apenas uma breve "reflexão" de quinze minutos, vinte minutos no máximo. O infeliz ministro, se não enxergar estas coisas com clareza, teme ir contra os desejos da maioria. Sua sobrevivência ($) depende dos membros da “igreja”, e o resultado é que tudo é feito para se conformar aos desejos e anseios da tal “igreja”.

 Mas deixe-me acrescentar que o ministro também não pode impor. É o próprio Yahushua por intermédio do espírito de santidade de seu Pai. Aquele que está à direita do trono (observe a direita, não no trono) “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, [os dons ministeriais]. Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de HaMashiach; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Mashiach de YHWH, a homem perfeito, à medida da estatura completa de HaMashiach", ele os deu para a edificação dos membros das congregações, e é a mensagem dele que deve ser pregada sem temor nem favor [toda a mensagem que encontramos na Palavra de seu e nosso UL YHWH].

O trabalho do ministro é edificar o povo de YHWH, a Israel de YHWH, conhecida também como o corpo do Mashiach. A ocupação do ministro é edificar a congregação, não a si mesmo! Ai! Eles têm muito frequentemente edificado a si mesmos, e temos lido de príncipes da “igreja” vivendo em posições de grande pompa e riqueza. Isto é uma gritante deturpação dos ensinamentos de Paulo! Observemos que os ministros são chamados para edificar, não para agradar nem entreter. O modo pelo qual deveriam fazer isso está resumido perfeitamente naquela passagem, imensamente lírica, de Atos 20. O apóstolo Paulo está se despedindo dos presbíteros da igreja de Éfeso, à beira mar, e eis o que ele diz: "Agora, pois, irmãos, encomendo-vos a YHWH e à palavra da sua misericórdia; a ele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os santificados" (v.32). "Palavra da Sua misericórdia; a ele que é poderoso para vos edificar"! Não é surpresa que “as igrejas” sejam o que é hoje, pois lhe têm sido dados filosofia e entretenimento. Por meio delas, um ministro pode, por enquanto, atrair e segurar uma multidão; mas não pode edificar; a tarefa dos pregadores é edificar, não atrair multidões.

     Nada edifica a não ser a Palavra de YHWH. Não há autoridade fora dela; e ela não pode de modo algum ser modificada ou nivelada para se adaptar à moda da ciência moderna, ou a alguns supostos "resultados confirmados da crítica" que está sempre em modificação. É o "eterno Evangelho" e é: a "Eterna Palavra”, a mesma que Paulo e os demais apóstolos pregaram, a mesma Palavra que as congregações primitivas sempre praticaram e ensinaram. É pelo fato disso ter sido tão amplamente esquecido nos últimos cem anos que as coisas hoje estão como estão.

Presbítero Sérgio

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Igreja Mundial do Poder de Deus é condenada por humilhar funcionário.




É sabido por os mais íntimos que o bispo Valdemiro é muito ignorante com aqueles que o rodeiam e se defende publicamente insinuando que é uma pessoa verdadeira e que detesta hipocresia . E como o líder é exemplo para os seus liderados não me assustei com a notícia. 
A Igreja Mundial do Poder de Deus, liderada pelo apóstolo Valdemiro Santiago, foi condenada pela 2ª Turma do TRT-MG por assédio moral contra um empregado, que atuava como editor de vídeo em um programa apresentado por um bispo da igreja. O funcionário era constantemente chamado de burrinho, macaquinho e jegue pelo bispo responsável pela igreja e por outros pastores da denominação.
Segundo testemunhas do caso, o funcionário sofria essas ofensas sempre que havia um imprevisto ou algum erro na produção do programa. As testemunhas relataram ainda que bispo ria e achava graça da situação, e que o funcionário chegou a ser colocado sem trabalhar, durante três dias, na cozinha do estabelecimento.
Em decorrência do assédio, a igreja foi condenada a pagar uma indenização no valor de R$15 mil. O desembargador Anemar Pereira Amaral afirma que o assédio moral ficou plenamente caracterizado.
- A figura do assédio moral se caracteriza pela conduta abusiva do empregador ao exercer o seu poder diretivo ou disciplinar, atentando contra a dignidade ou integridade física ou psíquica de um empregado, ameaçando o seu emprego ou degradando o ambiente de trabalho, expondo o trabalhador a situações humilhantes e constrangedoras. Existindo prova de tais fatos nos autos, é devida a respectiva indenização reparadora – declarou o desembargador, em seu voto.
Em sua defesa, a igreja negou o assédio moral, e alegou que apenas aconteciam eram “brincadeiras comuns a um ambiente de trabalho descontraído”, argumento que não foi aceito pelo TRT. Segundo o desembargador, os relatos das testemunhas deixam claro que as supostas “brincadeiras” relatadas não condizem com a atmosfera de respeito e dignidade que deve existir no ambiente de trabalho, e que a conivência do empregador com a situação é o suficiente para justificar a condenação, a gravada pelo fato de que o chefe participava dos atos vexatórios.
Segundo nota publicada pelo TRT, foi entendido pelo magistrado que a igreja vulnerou valores humanos do trabalhador protegidos pela Constituição FederalPor Dan Martins, para o Gospel+

Polêmica: pastor Silas chama autor de novela de “imbecil”


pastor Silas Malafaia usou o site Verdade Gospel para comentar uma cena da novela “Amor à Vida” que faz apologia ao aborto. No episódio uma mulher morre por conta de complicações de um aborto realizado em uma clínica clandestina.


A história serviu para sustentar as afirmações dos defensores da descriminalização do aborto que apontam o aborto ilegal como a principal causa das mortes em mulheres no Brasil.

Mas para o pastor evangélico esta e outras afirmações usadas pelos grupos de apoio ao aborto são mentirosas. “O número de mortes maternas no Brasil é menos de 2 mil por ano e o aborto corresponde a 5% dessas mortes, segundo o Data SUS”, explica Malafaia.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo também levantou dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para comprovar que essa informação sobre os abortos ilegais não procede.

“Só para você ter uma ideia, o IBGE investigou a existência de óbitos entre 2009 e 2010 e o número de mulheres mortas neste período foi de 443.166, significa que o aborto corresponde a menos de 1% do total da morte de mulheres. Vejam o nível da mentira e do absurdo para enganar a sociedade.”

A segunda afirmação que o pastor contesta é afirmação de que o aborto é uma questão de saúde pública, ele lembra que as mulheres que abortam são 4 vezes mais propensas a internações psiquiátricas do que as outras mulheres. “Nove vezes mais propensas a suicídio e 11 vezes mais propensas a problemas em uma gravidez posterior”.

Malafaia critica autor da novela

Por conta dessas informações expostas no folhetim da Globo, o pastor chamou o autor da novela de “imbecil” por escrever uma cena onde o médico muçulmano se nega a atender a mulher com hemorragia (provocada pela retirada do feto) dizendo que ela é uma “pecadora”.
“Que insinuação bandida! Que absurdo! Um médico pode rejeitar fazer um aborto não por convicções religiosas, mas sim pelo juramento que faz quando se forma”. Sobre a recusa do médico em atender a paciente, Malafaia lembra que esses casos não acontecem. “Nenhum médico religioso que recebe uma paciente com hemorragia, fruto de um aborto, nega o atendimento por questões da sua fé.”

Contrário a qualquer tipo de aborto, o pastor Silas Malafaia lista algumas verdades sobre o tema. 

1. O feto não é prolongamento do corpo da mulher. Na gestação, ele é o agente ativo e a mãe o passivo

2. A prova que não é prolongamento do corpo da mulher é que se não estivesse envolvido pela cápsula no útero feminino, ele seria expulso como corpo estranho. Ele está em simbiose com a mãe por nutrientes para o seu desenvolvimento, e inclusive é ele que regula o líquido desta cápsula.

3. A vida começa na concepção e é um ato intra ou extra uterino até a morte.

4. Nenhum ser humano é mais humano do que outro. Nenhum corpo vivo pode tornar- se pessoa se já não for em essência.

5. 99,99% dos abortos são frutos da promiscuidade e da irresponsabilidade do ser humano.
(por Leiliane Roberta Lopes)

Jesus é Deus? Quem inventou isso?


Quem foi o primeiro a divulgar a idéia de que o Pai e o Filho é o mesmo Deus?

Sabélio (168), presbítero de origem Líbia, vindo de Pentápolis para Roma no início do 2º século A.D (Enc. Britannica, Ed. 1951, vol, 19, pg. 790).

Alguns grupos religiosos que não aceitam a doutrina da “trindade”, como nós também não aceitamos, por ser antibíblica, têm-se confundido na interpretação de algumas passagens das Escrituras que fazem referência ao Pai e ao Filho. Acabam por crer que, quando a Bíblia fala de Deus, o Pai, e de Jesus, o Filho, está falando da mesma pessoa. Ensinam que existe só um ser na divindade, e que este ser se manifesta de três maneiras diferentes: Como o Pai, como o Filho e como o espírito santo. Afirmam que, quando Jesus orava, era a carne que pedia ao espírito. Jesus seria então apenas a carne e que o Pai, o espírito, habitava neste corpo.
Outra característica dos que ensinam a unicidade, é que, em suas pregações, dificilmente deixam de tocar neste ponto, pois, para eles é o principal, e acabam por desprezar assuntos importantes da Palavra de Deus. Com toda a sinceridade, ao se fazer um estudo imparcial das passagens usadas para apoiar a doutrina da “unicidade”, é fácil descobrir que o Pai e o Filho são dois seres diferentes, em autoridade, em essência, em ação e em propósito.

Alguns defensores da unicidade: Pentecostal Unida; Tabernáculo da Fé do profeta W. Branham; Apostólica; Maravilhas de Jesus e grupos do nome hebraico.
Quem é Jesus Cristo?

(1) Jesus é o FILHO de Deus, isso foi o que estas pessoas afirmaram: Anjo Gabriel: “Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai...E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o espírito santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; pelo que o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus”.  [Lucas 1:32,35]. 

João Batista: “E eu vi e tenho testificado que este é o Filho de Deus”.  [João 1:34]. 

Apóstolo Pedro: “E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. [Mateus 16:16]. Aqui seria uma excelente oportunidade para que Pedro pudesse dizer quem era o homem à sua frente. Quando Pedro diz ele é “Filho de Deus”, falou isso pelo espírito santo. Se Jesus fosse o Pai, por que ele não respondeu “Tu és o Deus vivo? 

Os apóstolos: “...E adoraram-no dizendo: És verdadeiramente o Filho de Deus”. [João 1:49]. 
O Eunuco
: “...Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus”. [Atos 8:37]. 

Apóstolo Paulo: “E logo nas sinagogas, pregava a Jesus, que este era o Filho de Deus”.  ( At. 9:20). 
Declaração do próprio Messias
: “...Crês tu no Filho de Deus?” [João 10:36]. 

Declaração dos próprios espíritos imundos: “e, clamando com grande voz, disse: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? conjuro-te por Deus que não me atormentes”. [Marcos 5:7]. 
O próprio Deus afirma que Jesus é o Seu Filho
: Pelo menos em três ocasiões, Deus declarou que Jesus é o Seu Filho amado (Mateus 3:17; 17:5; João 12:28).


(2) ENQUANTO estava em carne e ossos e sujeito a morte, ANTES de ser ressuscitado, encontramos muitas provas de que Jesus não era Deus, o Pai: 

Aprendeu o conhecimento (Lucas 2:52; Isaías 11:2) 
Foi ungido por Deus
: Quem unge é o maior, e o ungido é o menor (Salmo 45:7; Lucas 4:18; João 6:27). 
O Maior Abençoa o Menor
: Veja Hebreus 7:7 
Menor que o Pai
 (João 14:28). 
Fazia as coisas que o Pai mandou (João 12:49). 
Certos privilégios Jesus não podia conceder, somente o Pai
 (Mateus 20:23). 
A vida que tinha havia recebido do Pai
 (João 5:26). 
Jesus guardava os mandamentos do Pai
: Quem obed
ece é menor (João 15:10). 
Declarou que podia exercer o juízo porque o Pai havia lhe dado esse poder
(João 5:22,27; 3:35;  13:3; Lucas 10:22). 

Fazia a vontade do Pai e não a sua (João 6:38). 

Veio ao mundo (nasceu) a mando do Pai (João 3:16,17; 8:42; 10:36; 1João 4:10,14; Romanos 8:3; João 7:29; Gálatas 4:4). 

Deixou claro que o dia de sua vinda somente o Pai sabia (Mateus 24:36).
Não há o que contestar, os textos fazem uma distinção nítida entre o Pai e o Filho,.

(3) Depois de ressuscitado, a Palavra continua apresentando o Filho como uma pessoa distinta de Seu Pai, o Deus Eterno. 


Foi lhe dado todo o poder no Céu e na Terra: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra”. (Mateus 28:18). Se ele era o Deus Todo-Poderoso não poderia receber nada de ninguém. Ele teria era que conceder o poder e não receber. 

Constituído herdeiro de tudo (Hebreus 1:2). 
Depois de ressuscitado foi coroado de honra e glória (Hebreus 2:7). 
É Senhor porque o Pai o elevou à esta condição (Atos 2:36; Salmos 110:1-3). 
Deus o elevou como Príncipe e Salvador
 (Atos 5:31). 
Constituído por Deus, o  Pai, como Juiz dos vivos e dos mortos 
(Atos 10:42, Atos 17:31). 
Deus colocou o Filho à Sua direita no Céu
 (Efésios 1:20-22). 
Deus exaltou o Filho soberanamente
 (Filipenses 2:9). 
Deus sujeitou para Seu Filho todos os poderes
 (1Pedro 3:22). 
O Filho foi fiel a Deus que o constituiu
 (Hebreus 3:2).

Aqueles que afirmam ser o Filho o próprio Pai, entram em enormes dificuldades pois, como irão explicar estas passagens que tão claramente fazem distinção entre o Pai e o Filho e, isso depois de ressuscitado, em corpo glorificado!

(4) Muito tempo depois de ressuscitado, Jesus aparece ao apóstolo João na ilha de Patmos e faz uma nítida distinção entre Ele e Seu Pai, veja: “O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos”. [Apocalipse 3:5].

(5) Já se passaram quase dois mil anos e Jesus ainda não veio, mas quando ele regressar veja o que dirá aos que forem colocados à sua direita: “Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”. [Mateus 25:34]. Como pode tantos séculos depois, Jesus chamar outra pessoa de meu Pai,sendo ele o próprio Deus? Não vejo a menor possibilidade de um unicista explicar esta passagem.

(6) Ainda no Livro de Apocalipse, Jesus depois de ressurreto declara seu Pai como sendo Seu Deus. A seguinte citação se decorre das sete cartas escritas as sete Igrejas da Ásia, onde o próprio Senhor Jesus esta falando à João em espírito e declara que existe um Ser Superior a ele que O considera como Seu Deus também. “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, da parte do meu Deus, e também o meu novo nome”. [Apocalipse 3:12]

(7) As comparações seguintes tiram todas as dúvidas quanto a pessoa do Pai e do Filho não serem um mesmo personagem. 

Jesus é o Mediador. Para alguém ser considerado mediador é preciso que haja alguém superior à ele, caso contrário é impossível aplicar o termo mediador para uma pessoa (Romanos 8:34; 1Timóteo 2:5; Hebreus 9:24; 7:25; 1João 2:1; Efésios 2:18). 

Jesus recebeu o espírito santo do Pai e o derramou sobre os discípulos (João 14:16,25; Atos 2:33; Tito 3:6).

Jesus tem um Deus assim como nós temos, e chama-O de Pai. Portanto Ele não pode ser este mesmo Deus, a Palavra de Deus declara como sendo o Pai de Nosso Senhor Jesus.
Para que unânimes, e a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”. [Romanos 15:6];
Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação”. [2Coríntios 1:3];

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo”. [Efésios 1:3];

Graças damos a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, orando sempre por vós”. [Colossenses 1:3] 

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos”. [1Pedro 1:3]

Os Apóstolos declaram de forma clara sem deixar dúvidas que Deus é Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, e o Próprio Pai declara Jesus como sendo Seu Filho. “Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando pela Glória Magnífica lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. [2Pedro 1:17]

Jesus recebeu o Reino de Deus Pai, e no final do seu reinado entregará novamente ao Seu Pai, sujeitando-se a Ele.

O Filho do homem (Jesus) recebe do Ancião de Dias (Deus o Pai): “Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou; o seu vestido era branco como a neve, e o cabelo da sua cabeça como lã puríssima; o seu trono era de chamas de fogo, e as rodas dele eram fogo ardente. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades assistiam diante dele. Assentou-se para o juízo, e os livros foram abertos. Então estive olhando, por causa da voz das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando até que o animal foi morto, e o seu corpo destruído; pois ele foi entregue para ser queimado pelo fogo. Quanto aos outros animais, foi-lhes tirado o domínio; todavia foi-lhes concedida prolongação de vida por um prazo e mais um tempo. Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído”. [Daniel 7:9-14]

Jesus entrega o Reino a Deus o Pai

Então virá o fim quando ele entregar o reino a Deus o Pai, quando houver destruído todo domínio, e toda autoridade e todo poder. Pois é necessário que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo a ser destruído é a morte. Pois se lê: Todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz: Todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas,então também o próprio Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos”. [1Coríntios 15:24-28]Em Apocalipse capítulos 4 e 5 o Pai e Jesus são adorados como seres distintos

Capítulo 4: 8-11 “Os quatro seres viventes tinham, cada um, seis asas, e ao redor e por dentro estavam cheios de olhos; e não têm descanso nem de dia e nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, e que é, e que há de vir. E, sempre que os seres viventes davam glória e honra e ações de graças ao que estava assentado sobre o trono, ao que vive pelos séculos dos séculos, os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam ao que vive pelos séculos dos séculos; e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo: Digno és, Senhor nosso e Deus nosso, de receber a glória e a honra e o poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade existiram e foram criadas.

Capítulo 5: 1-13 “Vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, bem selado com sete selos. Vi também um anjo forte, clamando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de romper os seus selos? E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele. E eu chorava muito, porque não fora achado ninguém digno de abrir o livro nem de olhar para ele.

 E disse-me um dentre os anciãos: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e romper os sete selos. Nisto vi, entre o trono e os quatro seres viventes, no meio dos anciãos, um Cordeiro em pé, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus, enviados por toda a terra.

 E veio e tomou o livro da destra do que estava assentado sobre o trono. Logo que tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. E cantavam um cântico novo, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo e naçãoe para o nosso Deus os fizeste reino, e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra

E olhei, e vi a voz de muitos anjos ao redor do trono e dos seres viventes e dos anciãos; e o número deles era miríades de miríades; e o número deles era miríades de miríades e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor. Ouvi também a toda criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e no mar, e a todas as coisas que neles há, dizerem: Ao que está assentado sobre o tronoe ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos”.

Estas citações são claríssimas, e demonstram que o Cordeiro (Jesus o Filho) e Deus são distintos! Nós temos comunhão com dois seres distintos, o Pai e o Filho. “sim, o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que vós também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo”. [1João 1:3]

OBS: Como sabemos nós temos comunhão com pessoas e não de pessoas, que no caso a comunhão do espírito santo indica que ele não se trata de uma pessoa, mas do poder impessoal do Pai. Portanto as citações que falam da comunhão do espírito santo não são aplicadas para provar a personalidade do espírito santo sendo distinta do Pai como tentam os trinitarianos em 2Coríntios cap13 na saudação Apostólica.

O Pai ama o Filho e o Filho ama o Pai, provando que são distintos.
O Pai ama ao Filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos”. [João 3:35];
Porque o Pai ama ao Filho, e mostra-lhe tudo o que ele mesmo faz; e maiores obras do que estas lhe mostrará, para que vos maravilheis”. [João 5:20];
mas, assim como o Pai me ordenou, assim mesmo faço, para que o mundo saiba que eu amo o Pai. Levantai-vos, vamo-nos daqui”. [João 1
4:31].

Evangelista Flavio Schmidt de Carvalho/ www.igrejadedeusemsaopaulo.org.br

Você está na igreja verdadeira?


Pergunta: "Qual  igreja a verdadeira ?"

Resposta: A primeira igreja, seu crescimento, doutrinas e práticas foram registradas para nós no Novo Testamento. Yahushua, assim como Seus apóstolos, previram que falsos mestres se levantariam, e sim, é visível em algumas epístolas do Novo Testamento que estes apóstolos tiveram que lutar contra falsos mestres ainda no passado. Ter uma pessoa de sucessão apostólica ou ser capaz de encontrar as raízes de uma igreja no passado, na “primeira igreja”, não é algo que esteja dito em lugar algum das Escrituras como um teste para ser a verdadeira igreja. Mas as Escrituras registram repetidas comparações entre o que um falso mestre ensina e o que a primeira igreja ensinava. Se uma igreja é a “igreja verdadeira” ou não, é determinado se compararmos seus ensinamentos e práticas com os da igreja do Novo Testamento, como registrado nas Escrituras.

Por exemplo, em Atos 20:17-38, o Apóstolo Paulo tem uma oportunidade de falar aos líderes da igreja na grande cidade de Éfeso uma última vez, face a face. Nesta passagem, ele os adverte que falsos mestres não somente surgirão entre eles, mas também DENTRE eles (versos 29-30). 

Esta confiança na Palavra de Deus, ao invés de seguir certos “fundadores” individuais, é vista mais uma vez em Gálatas 1:8-9, onde Paulo afirma: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.” Por isto, a base para se diferenciar a verdade da mentira não é baseada em QUEM está ensinando, “nós mesmos ou um anjo do céu”, mas se é o mesmo evangelho que eles já receberam: e este evangelho está registrado nas Escrituras.

Outro exemplo desta confiança na Palavra de Deus é encontrado em II Pedro. Nesta epístola, o Apóstolo Pedro está em luta contra falsos mestres. Fazendo isto, Pedro começa mencionando que nós temos “mui firme palavra” para confiar, mais do que até ouvir a voz de Deus dos céus como aconteceu na transfiguração de Jesus (II Pedro 1:16-21). Esta “mui firme palavra” é a escrita Palavra de Deus. Pedro diz a eles novamente para serem cuidadosos “das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador” (II Pedro 3:2). Tanto as palavras dos santos profetas quanto os mandamentos que Jesus deu aos apóstolos estão registrados nas Escrituras.

Como determinamos se uma igreja está ensinando a correta doutrina ou não? O único padrão infalível que temos, segundo as Escrituras, é a Bíblia (Isaías 8:20; II Timóteo 3:15-17; Mateus 5:18; João 10:35; Isaías 40:8; I Pedro 2:25; Gálatas 1:6-9). A tradição faz parte de qualquer igreja, mas esta tradição deve ser comparada com a Palavra de Deus, sob pena de ir contra o que é verdadeiro (Marcos 7:1-13). Mesmo sendo verdade que os cultos e às vezes as igrejas ortodoxas torçam a interpretação das Escrituras para apoiar suas práticas, as Escrituras, quando tomadas em contexto e estudadas com fé, são capazes de guiar-nos à verdade.

A “primeira igreja” é a igreja que está registrada no Novo Testamento, especialmente no Livro de Atos e nas Epístolas de Paulo. A igreja do Novo Testamento é a “igreja original” e “a igreja verdadeira”. Podemos saber disto porque ela está descrita, em grandes detalhes, nas Escrituras. A igreja, como registrada no Novo Testamento, é o padrão de Deus e base para Sua igreja. Sobre esta base, vamos agora examinar a alegação dos católicos romanos de que constituem a “primeira igreja”. Em nenhum lugar do Novo Testamento encontraremos a “única igreja verdadeira” fazendo qualquer das seguintes coisas: orando a Maria, orando aos santos, venerando Maria, submetendo-se ao papa, tendo um sacerdócio selecionado, batizando um bebê, observando as ordenanças do batismo e a Ceia do Senhor como sacramentos ou passando a autoridade apostólica a sucessores dos apóstolos. Todos estes são elementos centrais da fé católica romana. Se a maioria dos elementos centrais da Igreja Católica Romana não são praticados pela Igreja do Novo Testamento (a primeira e única igreja verdadeira), como então pode a Igreja Católica Romana ser a primeira igreja? Um estudo do Novo Testamento claramente revelará que a Igreja Católica Romana não é a mesma igreja descrita no Novo Testamento.

A resposta é simples: a igreja do segundo, terceiro e quarto século (e em diante) não possuía o Novo Testamento completo. As igrejas tinham partes do Novo Testamento, mas o Novo Testamento (e a Bíblia completa) não estava comumente disponível até depois da invenção da imprensa em 1440 d.C. A igreja primitiva fez o melhor que pode em passar adiante os ensinamentos dos apóstolos através da tradição oral, e através de uma disponibilidade extremamente limitada da Palavra na forma escrita. Ao mesmo tempo, é fácil ver como as falsas doutrinas puderam se infiltrar em uma igreja que tinha acesso apenas ao Livro de Gálatas, por exemplo. É muito interessante observar que “A Reforma Protestante” se seguiu logo depois à invenção da imprensa e tradução da Bíblia nas linguagens comuns às pessoas. Uma vez que as pessoas começaram a estudar a Bíblia por si mesmas, tornou-se muito claro quão longe a Igreja Católica Romana tinha se afastado da igreja descrita no Novo Testamento.

A “primeira igreja” e “a igreja verdadeira” estão registradas no Novo Testamento. A bíblia nos mostra algumas verdades fundamentais da fé como temas vitais para nossa fé: Que Jesus (Yahushua) não é Deus (YHVH), João 17:3, que o homem é mortal. O homem é totalmente mortal. Na morte, este dorme (Salmos 146:4; Eclesiastes 9:5,6; 1Coríntios 15:51-54; João 5:28; Apocalipse 20:5,6). Só em Yahweh teremos a imortalidade por intermédio de nosso Mestre e Senhor Yeshua, o Messias.  A ressurreição:"Não fiquem admirados com isto, pois está chegando a hora em que todos os que estiverem nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão; os que fizeram o bem ressuscitarão para a vida, e os que fizeram o mal ressuscitarão para serem condenados. João 5:28-29 Eles estavam muito perturbados porque os apóstolos estavam ensinando o povo e proclamando em Jesus a ressurreição dos mortos. Atos dos Apóstolos 4:2Yehoshua (Jesus) é o filho homem de YHWH (Deus), o Mashiach prometido da descendência de Abraão, Davi, etc., nascido do ventre de Maria por obra do espírito santo de YHWH (Lucas 1:32-35, Gálatas 4: 4, 1Timóteo 2: 5). Viveu como qualquer outro homem, mas sem pecado, e com a plenitude do espírito de YHWH (Colossenses 1:19, 2:9), com seu sacrifício pode ser o resgate por todos aqueles que crerem (Hebreus 9:26), por sua retidão e obediência foi glorificado com a glória que estava no plano (logus) de YHWH desde antes da criação (João 17:5) assentando-se à direita do Pai (Colossenses 3:1), sendo nosso sumo sacerdote (Hebreus 5: 5, 10; 6: 20) Virá segunda vez para junto com os salvos governar o Reino de seu Pai, durante mil anos, que será estendido sobre toda a terra (1Coríntios 15: 51, 52; Mateus 24: 30; Apocalipse 1: 7; Apocalipse 20: 6)  E finalmente após o juízo final entregará a seu Pai o reino (1Coríntios 15: 24, 25).

Esta é a igreja que todas as outras igrejas devem seguir, tentar igualar ou superar e ter como modelo. ((Fonte: Got Questions?org, Igreja de Deus do 7º dia, presbítero Sérgio) 

sábado, 17 de agosto de 2013

A terra será o paraíso algum dia?


A Terra é uma jóia no meio do Cosmo, e dentro dela há todo o tipo de vida e paisagens exuberantes. Apesar de algumas dificuldades enormes que existem no mundo, a beleza que há no globo terrestre arranca admiração e causa espanto. Muitos se perguntam se o homem vai levá-la à destruição por meio de um cataclismo nuclear, ou se vai poluí-la por completo.

Mas o que a Palavra de Yahweh diz sobre o futuro da Terra? Ela mostra que a Terra será governada por Yeshua o Messias, e quando isso acontecer as condições de vida no mundo se tornarão paradisíacas, para condizer com o governo perfeito do Messias. Alguns textos serão mostrados aqui para corroborar esse entendimento.

Não há dúvida que a esperança de vida eterna apresentada aos discípulos pelas Escrituras é a vida eterna aqui na terra mesmo. São muitos os versículos que corroboram isso. No entanto, não raro as religiões não enfatizam essa verdade, não se lembram que Elohim tem um propósito para este planeta, e que quando o Reino Milenar do Messias assumir o domínio governamental do mundo a Terra inteira será regenerada, transformando-se assim num paraíso, em virtude da eficácia sem precedentes desse novo governo vindouro. Esse novo mundo foi predito por Paulo em sua carta aos Efésios: ”Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, De tornar a congregar no Messias todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na Terra”. [Efésios 1:9,10]. Quando "as coisas na Terra" forem 'ajuntadas no Messias' a oração modelo de Yeshua o Messias finalmente será respondida por Elohim: "Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu”. [Mateus 6:10].

Como você acha que estaria o mundo se a vontade do Eterno fosse feita na Terra da mesma maneira que é feita no céu? Certamente ela seria um paraíso, concorda?

A palavra "reino", na Bíblia, significa governo e as extensões do seu domínio. O governante principal do governo de Yahweh é Yeshua o Messias. É sobre ele que Paulo escreveu as seguintes palavras, em Hebreus 2:5 "Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro, de que falamos". Segundo a Bíblia, Yeshua o Messias não governará sozinho. Muitas pessoas escolhidas por ele, participarão desse governo, conforme Apocalipse 5:9,10 “E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Elohim homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Elohim os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra”.

Como a Terra se tornará quando Yeshua governá-la? Há muitas profecias que fornecem um vislumbre dessa época. Veja alguns exemplos: “Bem aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra”; [Mateus 5:5]; "E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Elohim com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Elohim estará com eles, e será o seu Elohim. E Elohim limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas”. [Apocalipse 21:3, 4]; “Porque os malfeitores serão desarraigados; mas aqueles que esperam em Yahweh herdarão a terra. Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz. Os justos herdarão a terra e habitarão nela para sempre”. [Salmo 37: 9,11,29]; “Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela. Mas os ímpios serão arrancados da terra, e os aleivosos serão dela exterminados”. [Provérbios 2:21,22].

Pelo acima, fica claro que a Bíblia delineia claramente um futuro para a Terra, embora não forneça muitos detalhes desse novo mundo. Quando essa época de ouro chegar, as seguintes palavras se cumprirão: ”Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Elohim”. [Romanos 8 :21]

Embora a Bíblia seja suficiente para indicar que um dia Elohim criará condições paradisíacas na Terra, há um interessante relato de um discípulo do início do segundo século que confirma esse entendimento. O nome dele é Pápias de Hierápolis. Ele era amigo de um discípulo do apóstolo João. Segunda consta, Pápias escreveu o seguinte: "Quando também a criação, renovada e liberta, produzirá fartamente todos os tipos de alimentos, com o orvalho do céu e a fertilidade da Terra, assim como os anciãos, que conheceram João, o discípulo do Messias, relataram ter ouvido como o Messias ensinava sobre aqueles tempos: haverá dias em que nascerão vinhas, que terão cada uma dez mil videiras.... um grão de trigo dará dez mil espigas, e cada espiga terá dez mil grãos.... Todos os animais que se nutrem desses alimentos, que recebem da terra, se tornarão pacíficos e viverão harmoniosamente entre si. Eles se submeterão aos homens sem nenhuma relutância.... Para os crentes essas coisas são críveis. E quando Judas, o traidor, negou-se a crer e perguntou: “Como o Senhor realizará tal coisa?”, o Senhor disse: “Os que alcançarem aqueles tempos verão". - Padres Apostólicos, Pápias, Ed. Paulus (1995), p. 327.

Esse mundo perfeito e harmonioso descrito por Pápias lembra diversos textos, dentre os quais podemos citar: ”Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. [Isaías 9:6, 7]; “Haverá um punhado de trigo na terra sobre as cabeças dos montes; o seu fruto se moverá como o Líbano, e os da cidade florescerão como a erva da terra. Então a terra dará o seu fruto; e Yahweh, o nosso Elohim, nos abençoará”. [Salmo 72:16; 67:6]; “E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará. A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento de Yahweh, como as águas cobrem o mar. O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz Yahweh". [Isaías 11:6-9; 65:25]; “E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Elohim com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Elohim estará com eles, e será o seu Elohim. E Elohim limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis”. [Apocalipse 20:7; 21:3, 4, 5].

Haverá, sem dúvida, muita felicidade nessa época, e todos os verdadeiros discípulos podem ter fé nisso, pois "estas palavras são fiéis e verdadeiras". E uma maneira de demonstrar fé em tais promessas é celebrar a morte de Yeshua (ceia do Senhor), sem a qual seria impossível a redenção da humanidade. Lembre-se que ele ordenou que todo o discípulo fizesse isso. "E, quando comiam, Yeshua tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados". [Mateus 26:26-28]; "Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha". [1Coríntios 11:26].

C. M. Silva

10 Frases Sobre Cultivar a Gratidão

Apenas hoje estou reconhecendo a oportunidade em vez do obstáculo. A bondade em vez da apatia, a luz no lugar da escuridão, o amor em ve...